O contraste na análise cromática

Muito se fala sobre o contraste natural quando o assunto é coloração pessoal. Essa é a parte que você consegue até identificar sozinha em casa, hoje vou te contar como!

Pra começar essa conversa, vamos primeiro entender o que é contraste afinal. O contraste natural é a diferença de profundidade entre os olhos, sobrancelha, cabelo e o tom de pele.

Vamos observar as imagens abaixo: respectivamente temos baixo, médio e alto contraste.

A Nicole Kidman é toda clarinha, quase não vemos diferença na tonalidade dos elementos de contraste. Já Anne Hattaway é beeem contrastada, olha a pele bem branquinha e os cabelos e olhos escuros. Já Giovanna Antonelli fica um meio termo, então dizemos que o contraste é médio – que ainda pode ser médio-alto ou médio-baixo.

Agora que entendemos o que são os contrastes, vamos entender o que fazer com essa informação: se o objetivo é atingir uma aparência harmônica (sempre que falamos sobre a coloração pessoal estamos considerando as tonalidades mais harmônicas para cada beleza) aí a ideia é sempre repetir essa coloração e contraste na maquiagem, cor do cabelo, roupas/estampas, acessórios, tudo que estiver perto do rosto.

E o que acontece se a pessoa usa o contraste diferente do natural? A aparência pode ficar abatida, a roupa acaba chamando mais atenção que a pessoa vestindo-a, traços que incomodam são evidenciados… Quando falamos de harmonia, a expressão/fisionomia são sempre mais importante do que a roupa. É a pessoa que veste a roupa, e não o contrário.

Sabe quando você vê alguém com uma roupa que parece chegar primeiro? Contraste inadequado:

Olha como a Taylor Swift fica super harmônica em tons mais claros e coloridos. Já na última foto (não estamos julgando o estilo aqui e sim a cor) a roupa chega primeiro!

Com Anne Hathaway é o oposto, ela precisa de um alto contraste nas roupas. Quando ela usa tons claros demais ela fica apagadinha e “some” na roupa. Conseguem reparar?

A cartela de coloração pessoal em si não significa cada, duas pessoas podem ter exatamente a mesma cartela e contrastes diferentes. A cartela é a mesma para a vida toda mas o contraste pode mudar ao longo da vida. De criança à vida adulta uma pessoa pode passar por todos os níveis de contraste.

E o que interfere no contraste: escurecer ou clarear demais os cabelos e sobrancelhas, a idade (a pele e cabelo perdem o viço), procedimentos como micropigmentação, bronzeado.

Alguma dúvida de que Jennifer Lawrence deve ser loira pra sempre?

Mas vale pensar no estilo da coloração também, baixo contraste harmoniza melhor com luzes mais homogêneas, para quem tem alto contraste, vale deixar mais diferença entre os tons e, se possível, não alterar profundamente as mechas em volta do rosto.

E como você pode descobrir o seu em casa? Tire uma foto do seu rosto em ambiente iluminado. Coloque um filtro preto e branco e vamos analisar:

Meu cabelo está no último tom e minha pele/olhos no segundo tom, logo tenho alto contraste.

Para comparação: 1 a 2 níveis de distância temos baixo contraste, 2 a 3 níveis médio pra baixo, 4 níveis temos médio contraste, 5 a 6 níveis médio para alto e 8 a 10 níveis alto contraste.

Conseguiu descobrir o seu? Qualquer dúvida, me chama no email ([email protected]) ou deixe nos comentários!

You may also like

Deixe um comentário